palestra linguagem

palestra linguagem

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

PORTFOLIO DE SENHORA DE JOSÉ DE ALENCAR

13 comentários:

  1. UM DAS OBRAS MAIS CRÍTICAS DE ALENCAR, TALVEZ SUA MELHOR OBRA. PERTENCE AS NARRATIVAS URBANAS E TEMATIZA A EMANCIPAÇÃO FEMININA. VER-SE COM O DINHEIRO NA SOCIEDADE CAPITALISTA PODE COMPRAR O "AMOR" APARENTE. NUMA SOCIEDADE ONDE TUDO SÃO CONVENIENCIAS, O CASAMENTO É UMA QUESTÃO DE STATUS, UM CONTRATO SOCIAL, QUE SERÁ DURAMENTE CRITICADO PELOS AUTORES REALISTAS COMO MACHADO DE ASSIS. BOA LEITURA, ESPERO CONTRIBUIÇÕES.

    ResponderExcluir
  2. é uma história muito interessante, porque consegue envolver muitos assuntos em uma história só, e envolve o leitor, faz com que ele se imagine dentro da historia.
    Mostra a mulher como era tratada antigamente, mostra que o amor não valia nada e sim a quantidade de dinheiro, também mostra a fibra de Aurélia que em vista das mulheres de sua época radicaliza e tem seu próprio orgulho.
    A linguagem é uma linguagem culta, sendo que a linguagem popular daquele tempo, então pra eles era de fácil compreensão em qualquer classe social.

    Graziela França da Silva, Nº: 20 1º ano "A"

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Senhora é um dos romances do escritor brasileiro José de Alencar. Foi publicado em 1875.
    No livro o autor faz uma crítica a decadência de valores do Segundo Império. Através do romance entre Aurélia Camargo e Fernando Seixas, ele leva o leitor a refletir a respeito da influência do dinheiro nas relações amorosas e principalmente, sua influência nos casamentos da época. O romance divide-se em quatro partes, que correspondem às etapas de uma transação comercial: O Preço, Quitação, Posse e Resgate.

    nome: Jonnathan Barboza De Farias
    N:29 1 A

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. é uma obra de um dos escritores do romantismo da literatura brasileira mais importantes, José de Alencar.
    O livro fala história de Fernando Seixas, um rapaz pobre, mas ambicioso.Fernando namora Aurélia, moça pobre e órfão de pai. A fim de livrar-se dos problemas causados pela falta de dinheiro,ele aceita por um dote de trinta contos, a proposta de casamento com Adelaide Amaral...A linguagem e culta, efim e um otimo livro...(vale a pena ler)
    Juan Gabriel França Canon, Nº:30 1º"A"

    ResponderExcluir
  7. Senhora é uma das obras mais famosas de José de Alencar, e um admirável romance onde o autor retrata a história de Aurélia Camargo, moça pobre, torna-se rica graças à herança do avô, recebida aos 18 anos, quando é apresentada a sociedade fluminense.
    Aluno: Fernando Junior Esequiel De Gois n:10
    serie: 2 ano"A"

    ResponderExcluir
  8. Como eu já havia dito, em minha apresentação dentro da sala de aula, que por sinal eu fechei a nota. Sua Obra é da mais alta significação nas letras brasileiras, não só pela seriedade, ciência e consciência técnica e artesanal com que a escreveu, poréem escreveu também pelas suas sugestões e soluções que ofereceu , facilitando a tarefa da nacionalização da literatura no Brasil e da consolidação do romance braasileiro, doo qual foi o verdadeiiro criador. Sendo a primeeira figura das nossas letras, foi chamado "o patriarca da literatura brasileira". Sua imensa obra causa realmente uma grande adimiração, não só pela qualidade, como pelo volume, se considerarmos o pouco tempo que José de Alencar pôde dedicar-lhe numa vida curta.E quanto ao livro posso citar nas mesmas palavras que minha Apresentação, que o romance de José de Alencar que escreveu há mais de cem anos, conta um caso do amor quase golpe do baú, ou um caso de golpe do baú quase de amor. O que distingue também esse caso é que ele não é conduzido de um ponto de vista masculino: a mulher, aparentemente próxima ao estado de objeto, exige o tempo inteiro a condição de sujeito da história.E outra, se prestamoos bem atenção o mesmo como há de reparar, começa com um pedido de desculpas do Autor, que cansado de críticas ao folhetim. tipo de narração exuberante e sedutora, capaz de interessar aos leitores comuns e ás experiências de escritores da época.

    Muito Obrigado pelo Espaço Professor, realmente este livro, como todos os outros de José de Alencar e outros que fizeram e refizeram a literatura brasileira, é um show de conteúdo.

    Erick Victor Pereira Barbosa Santos N° 15 1° Ano Médio "A".

    ResponderExcluir
  9. A historia é muito interessante. Alencar insiste na idéia de que o amor é um instrumento eficaz contra a despersonalização capitalista.

    Mesmo ainda presa no modelo narrativo romântico, onde o amor é visto como o único meio de redimir todos os males, “Senhora” apresenta alguns elementos inovadores, que prenunciam a grande renovação realista, tais como: a vigorosa crítica à futilidade comportamental e à fragilidade dos valores burgueses resultantes do capitalismo brasileiro emergente e certo grau de introspecção psicológica.
    Senhora é uma das obras mais famosas de José de Alencar, e um admirável romance onde o autor retrata a história de Aurélia Camargo, moça pobre, torna-se rica graças à herança do avô, recebida aos 18 anos, quando é apresentada a sociedade fluminense. Encanta a todos com sua esplendorosa beleza.
    Sua beleza desperta o interesse de muitos rapazes e sabendo, sagazmente, os riscos que corria, ela vive intensamente.



    Nayane Oliveira Nº 44 1º A

    ResponderExcluir
  10. Senhora é uma das obras mais famosas de José de Alencar.
    A obra relata a dramática história de amor entre Seixas e Aurélia. Seixas era um pobre mancebo, que trabalhava como jornalista, vivia na pobreza, mas não abria mão do outro lado da sua vida, com o qual gastava todo o seu ordenado : as festas da sociedade. Aurélia também era uma pobre moça, mas que subira na vida após herdar a fortuna de seu avô fazendeiro.Era uma moça belíssima.


    Daiane Kelly Nº11 1º A

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  12. Publicado em 1875, "Senhora" retrata e, em certo ponto, critica a vida e os costumes das altas classes do Rio de Janeiro durante o Segundo Reinado, evidenciando o casamento burguês, que era baseado no interesse financeiro. A obra é narrada por uma narrador-observador, em terceira pessoa e discurso indireto livre. O tempo da narrativa alterna passado e presente. O narrador é onisciente, capaz de narrar os fatos de fora e penetrar no interior dos diferentes pesonagens ao mesmo tempo.

    A obra realmente é muito interessante, pricipalmente o fato de o autor ter usado a realidade como base para a ficção.

    Jancléia Albuquerque de Araujo Nº: 27 1º"A"

    ResponderExcluir
  13. Senhora é um dos ultimos romances de José de Alencar, o mais importante escritor ramântico da literatura brasileir. Em sua obra, Alencar mostra intrigas de amor, bem ao gosto da época: com amores sublimados, idealizados, capazes de renúncias, de sacrifícios, de heroísmo e até mesmo de crimes. Mas também um amor que se redime sempre, pela força de sua paixão.

    Laura Gabrielly Porto Dias Nº: 31 1º"A"

    ResponderExcluir